Comissão Artística

Profissionais que oferecem retorno sobre os espetáculos nos Olhares, medeiam ações e escrevem críticas e resenhas sobre as montagens.

Christina Streva é professora, pesquisadora e diretora teatral.  Graduada em Direção e Ciência Política pela Lawrence University, é também mestre e doutora em Teatro pela UNIRIO, com bolsa de visiting scholar na Universidade de Nova Iorque – NYU.  Foi professora substituta de direção teatral na UFMG (2005), professora e coordenadora do curso de teatro na UFPB (2006-2009) e, atualmente, é professora adjunta e chefe do Departamento de Interpretação, na Escola de Teatro da UNIRIO. Foi fundadora e diretora artística do coletivo Ser Tão Teatro (2007-2015).                       

Eduardo Kawamura possui graduação em Pedagogia pela Unicamp e mestrado em Psicologia pela PUC-Campinas. Doutorando dos programas de pós-graduação em Psicologia da PUC-Campinas e em Educação pela Faculdade de Educação da Unicamp. Atualmente, trabalha nas interfaces entre as áreas da Educação, da Psicologia e da Arte, com destaque aos temas: Formação Docente, Saúde Mental no Trabalho Docente, Violência Escolar, Desenvolvimento Humano, Psicologia na Escola, Metodologias de Ensino, Psicologia Crítica e Educação pela Arte.

Fernando Villar é diretor, autor, encenador e professor do Departamento de Artes Cênicas e do Mestrado em Artes Cênicas da Universidade de Brasília. Graduado em Artes Plásticas na UnB, pós-graduado em Direção Teatral no Drama Studio London e Ph.D em Teatro e Performance no Queen Mary College, Universityof London. Fundador dos grupos Vidas Erradas (1983-1989), Teatro Universitário Candango (TUCAN, 1992-2008) e  CHIA, LIIAA! (2007). Trabalha com diferentes artistas, grupos, escolas e universidades do Brasil, Europa e Américas.

Gláucia Vandeveldé atriz, formada pela Escola de Arte Dramática EAD ECA USP. Professora integrante do Núcleo Pedagógico do Galpão Cine Horto desde 1999 e coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Teatro para Educadores. Integra a equipe do projeto “A Arte Como Possibilidade de Liberdade”, que consiste em aulas de teatro para mulheres em situação de cárcere na Penitenciária Estevão Pinto/PIEP em BH/MG. Coautora do livro “Galpão Cine Horto: uma experiência de ação cultural”, Edições CPMT, 2014.Como atriz convidada pelo Grupo Espanca, integra o elenco de “Congresso Internacional do Medo”, “Dente de Leão”, e “Real”, além de vários trabalhos no cinema. 

Kil Abreu é jornalista, crítico, curador e pesquisador de teatro, pós-graduado em Artes pela Universidade de São Paulo (USP).  É curador de teatro do  CCSP (Centro Cultural São Paulo) e colaborador do site Teatrojornal – Leituras de cena. Foi crítico do jornal Folha de São Paulo e da revista Bravo!. Dirigiu o Departamento de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura/SP e foi curador de alguns dos principais festivais de teatro do país. Por dez anos foi professor e coordenador pedagógico da Escola Livre de teatro de Santo André e por oito jurado do Prêmio Shell/SP.Foi curador da Seção "Olhares críticos" da Mostra internacional de teatro de São Paulo (MITsp), 2017.

Marcos Antônio Alexandre é doutor em Letras (2004) pela Pós-Lit, da Faculdade de Letras-UFMG, onde atua na graduação e pós-graduação e também ministra disciplinas no Curso de Teatro. Realizou pesquisa de pós-doutorado no Instituto Superior de Arte, em Havana, e no PPGAC da UFBA (2008-2009) e foi VisitingResearch Scholar no HemisphericInstituteof Performance andPolitics, da New York University (2017). É Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e Professor Associado da FALE. Integra o Mayombe Grupo de Teatro, desde 1995 e coordena Núcleo de Estudos Interdisciplinares da Alteridade.

Paulo Celestino é diretor e ator de teatro e cinema. Formado pela EAD – Escola de Arte Dramática da USP. Integrante do Grupo XIX de Teatro de SP e da produtora de cinema Clementina Filmes. Participou como curador e debatedor do FETO-BH nos anos de 2012 a 2016.

Rejane Faria é atriz, diretora e professora de teatro graduada pela UFMG; cursou também o curso de Artes Cênicas – Aperfeiçoamento do Comunicador, no UNI-BH; licenciada em Artes Plásticas pela UEMG. Co-fundadora do Grupo Quatroloscinco. Também atua no mercado de teatro corporativo, onde dirigiu o Grupo de Teatro dos Correios de Minas Gerais e foi Supervisora Sociocultural da mesma empresa (2005-2017). Integrou a Cia. Móvel de Teatro. Atuou em diversos filmes e séries para TV e cinema. Recebeu os prêmios Usiminas/Sinparc de Melhor Atriz Coadjuvante (2010), Melhor Atriz no Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão (2016) e prêmio Copasa/Sinparc de Melhor Atriz (2017).

Taís Ferreira é atriz, pesquisadora e professora de teatro. Doutora em Artes Cênicas pela UFBA e Universitàdi Bologna (Itália) e Mestre em Educação pelo PPGEdu/UFRGS, na Linha de Estudos Culturais em Educação. Foi coordenadora da Licenciatura em Teatro da UFPel e desde 2004 é docente em cursos de graduação de universidades como UCS, UFRGS e UFSM. Autora dos livros A escola no teatro e o teatro na escola, Teatro e Dança nos Anos Iniciais (com Maria Falkembach, ganhador do prêmio Biblioteca do Professor do MEC) e Artes Cênicas, Teoria e Prática no Ensino Fundamental e Médio (com Mariana Oliveira).