Ministério do Turismo, Instituto Unimed BH e Associação No Ato apresentam:

Abertura

No canal do Youtube do FETO
*Roda de conversa

Dramaturgias do Agora

18/11- quarta – 19h às 20h30

Com: Grace Passô, Janaína Leite, Luciana Campos e Sara Pinheiro

Mediação: Marcos Coletta

Escolas de Teatro

Criações de minuto

No Instagram @fetoteatro
*Trabalhos com até dois minutos de duração

Antes de falar já não se ouve

Ateliê Colaborativo – Santa Maria | RS

18/11 – quarta-feira às 12h

Saiba mais

O acontecimento cênico “Antes de falar já não se ouve” explora criações híbridas que perpassam o teatro, a performance e o audiovisual, por meio de temáticas que problematizam o consumo, a produção desenfreada, a alienação dos sujeitos e o corpo como um produto descartável.

Classificação: 12 anos
Gênero: Teatro Performativo
Modalidade: Criação em minuto
Duração: 2 min

Ficha técnica:
Encenação e Dramaturgia: Elisa Lemos
Atuação: Allan Luidi, Amanda Pedrotti, Evandro Luft,
Leticia Utzig, Liziana da Rosa, Mateus Fazzioni, Rosicler Garcia
Produção: Allan Luidi e Flavia
Grutzmacher
Edição: Diordinis Baierle

Manifesto por um teatro do olho

Teatro do Olho – Rio de Janeiro | RJ

20/11 – sexta-feira às 12h

Saiba mais

“Que o toque encontre caminho de atravessar os cabos, e que o encontro toque e aqueça os vidros frios por onde tudo é achatado”. Num ímpeto de manter vivo o teatro num tempo de indefinições, surge o Manifesto apontando o desejo pelo encontro, incorporando as suas falhas.

Classificação: livre
Gênero: Manifesto/ experimental
Duração: 2 min

Ficha Técnica:
Texto: Thales Ferreira
Voz: Raíza Rameh
Performance: Bruno Bernardini, Lucas Brunno,
Raíza Rameh, Thales Ferreira
Edição: Thales Ferreira

Paradinha

Bárbara Casseb – Belo Horizonte | MG

22/11 – domingo às 12h

Saiba mais

Paradinha é uma coleção de vídeos curtos que apresenta um momento de uma cidade e de
suas pessoas. É uma composição fragmentar, que usa imagens do centro de BH durante os
primeiros meses de pandemia e as justapõe a fragmentos de cartas escritas por pessoas
passando pelos primeiros meses do processo de isolamento social e quarentena.

Classificação: Livre
Gênero: Audiovisual
Duração: 2 min

Ficha técnica:
Criação e montagem: Bárbara Casseb

Experimentos cênicos

No canal do Youtube do FETO
*Trabalhos com até 10 minutos de duração

Agora é que são elas

Coletivo Delas – Criciúma | SC

19/11 – quinta-feira às 18h30

Saiba mais

Em nós, dias e noites ganharam novos significados na realidade pandêmica. O dia lá fora não impediu a noite aqui dentro, nem a noite inibiu o dia de raiar em nós. Mas a luta segue, é
preciso enfrentar a si mesmo para encontrar o outro.

Classificação: 12 anos
Gênero: Drama
Duração: 10 min

Ficha técnica:
Atrizes: Bruna Medeiros Romansini, Juliana Kulkamp Gnoatto de Carvalho, Michelle Miranda Ribeiro, Ritha de Cassia Magnus Lummertz
Direção: Eduardo Osorio Silva
Orientacão: Luiz Gustavo BieberBach Engroff
Edição de vídeo: Ana Paula da Silva Bertolina

América das outras

Endêmica Coletiva – São Paulo | SP

19/11 – quinta-feira às 18h30

Saiba mais

América das Outras é um vídeo performance que discute as consequências da colonialidade
no corpo da mulher, ao propor uma conexão entre terra, fronteiras, história e apagamento das identidades femininas.

Classificação: Livre
Gênero: Vídeo Performance
Duração: 6 min

Ficha técnica:
Pesquisa e Idealização: Endêmica Coletiva
Roteiro: Endêmica Coletiva
Direção de arte: Endêmica Coletiva
Elenco: Ana Cangussu, Daniela Carinhanha e Larissa Fujinaga
Cenário e figurino: Daniela Carinhanha
Trilha sonora: Ana Cangussu
Edição de som e vídeo:
Larissa Fujinaga
Fotografia: Endêmica Coletiva

Este espetáculo contém audiodescrição

Preta Rosa Egipcíaca

Cia Teatral Caminho do Sol – Mariana | MG

22/11 – domingo às 18h30

Saiba mais

A peça, Preta Rosa Egipcíaca, enfatiza a sofrida trajetória da personagem nas terras de Minas
Gerais, sobretudo na cidade de Mariana, onde viveu dos 14 aos 32 anos. De meretriz a beata,
de exorcizada a exorcista, de santa a perseguida pela Inquisição.

Classificação: 14 anos
Gênero: drama
Duração: 10 min

Ficha técnica:
Adaptação e Direção: Juliana de Conti
Direção de Arte: Luciane Trevisan e Raed D’Angelo
Direção de Fotografia: Luciane Trevisan
Montagem: Raed D’Angelo
Figurino: Juliana de Conti
Cenografia: Juliana de Conti
Roteiro: Juliana de Conti
Captação de som direto: Raed D’Angelo e Luciane Trevisan
Maquiagem: Raed D’Angelo
Elenco: Aguinaldo Elias, Ketellyngh Braz, Karina Lana, Ryan Gomes, Hélen Cristina Gabriel Cafuzo
Trilha Sonora: Gabriel Cafuzo e Raed D’Angelo

Exercícios para dias estranhos

Corre Coletivo – Belo Horizonte | MG

24/11 – terça-feira às 18h30

Saiba mais

“Exercícios para dias Estranhos” é o registro poético dos encontros virtuais do Corre Coletivo, realizados durante o isolamento social. Uma investigação sobre TELAtralidades e
performaVIRTUALIDADES possíveis em meio à estranheza de dias que se repetem, que se
ausentam e que se transbordam.

Classificação: 12 anos
Duração: 10 min

Ficha técnica:
Corre Coletivo: Ágatha Lorrane, Amenda, Eli Bárbarie, Giulia Pontes, Júlia Camargos, Larissa
Loreto, Laura Lemos, Lucas Fabrício, Meireles, Nathalia Caldeira, Papillon, Paulo Maffei, Rainy Campos, Renato Bezerra, Sara Martins, Sereia e Victor Santos
Direção e Roteiro: Rainy Campos, Júlia Camargos, Lucas Fabrício e Paulo Maffei
Edição de vídeo: Rainy Campos e Paulo Maffei
Criação coletiva

Vozes do corpo

Fanchecléticas – Belo Horizonte | MG

25/11 – quarta-feira às 18h30

Saiba mais

Temos fome nessa carne cheia de dizeres e vamos nos fazer ouvidas por todos os seus poros. Agora nós que diremos quem fala. E quem escuta.

Classificação: 18 anos
Gênero: Experimental
Duração: 10 min

Ficha técnica:
Atuação: dévora mc, Gesiele Regina, Letícia Ângelo
Filmagem: dévora mc e Letícia Ângelo
Pole performer: Gesiele Regina
Texto: dévora mc
Música: Letícia Ângelo
Edição e montagem: Mel Jhorge
Realização: Fanchecléticas

Fazendo ao vivo

No canal do Youtube do FETO
*Propostas transmitidas ao vivo pelo festival

Entre nós - Espetáculo virtual

Teatra das Rosas – Rio de Janeiro | RJ

21/11 – sábado às 20h

Saiba mais

“Entre Nós” aborda um misterioso confinamento feminino, que, aos poucos, vai revelando marcas psicológicas profundas, oriundas dos medos e culpas característicos do gênero feminino.

Classificação: 16
Gênero: Drama
Duração: 100 min

Ficha técnica:
Dramaturgia: Roberta Mancuso
Assistência de dramaturgia: Karina Diniz
Elenco: Karina Diniz, Roberta Mancuso, Zylus Irpo
Direção: Roberta Mancuso
Assistência de direção: Karina Diniz
Supervisão de direção: Maria Rita Rezende

Fragmentos disso que chamamos vida

Espetáculo fruto de apresentação de TCC – Dourados | MS

22/11 – domingo às 20h

Saiba mais

Do grito seco na garganta, anéis, flor, balde, vestidos de festa, alicate, comprimidos, microfone, objetos entre objetos guardados num baú, contam histórias de mulheres escritas em um diário.

Classificação: 12 anos
Gênero: drama
Duração: 33 min

Ficha técnica:
Direção e dramaturgia: Júnia Pereira
Texto e atuação: Lauanne Oliveira e Tatiane Santos
Criação de Luz: Gil Esper
Montagem de Luz: Rodrigo Bento
Figurino: Malu Reis

Ideias confinadas

No canal do Youtube do FETO
*Trabalhos de até 20 minutos que contaram com a tutoria de um profissional das artes cênicas
indicado pelo FETO.

Tá tudo bem, vai ficar tudo bem!

Grupo Palas – Belo Horizonte | MG

22/11 – domingo às 19h

Saiba mais

“Tá tudo bem, vai ficar tudo bem” é resultado de uma pesquisa focada em estereótipos. Através
de mascaramentos e do lúdico, os atuantes propõem e distorcem situações frequentemente impostas a esses personagens.

Classificação: 12 anos
Gênero: vídeo-performance
Duração: 20 min

Ficha técnica
Direção: Talita Campos
Roteiro: Pedro Coelho
Elenco: André de Paula, Carol Mezanto, Pedro Coelho e Victor Cravelar
Figurino: Pedro Coelho
Edição: Lucas Coelho
Produção: André de Paula

Este projeto contou com a tutoria de Lira Ribas

Webserie oratórios

Corpo Cênico – Escola do Futuro em Artes Basileu França – Goiânia | GO

22/11 – domingo às 15h
23/11 – segunda-feira às 15h
24/11 – terça-feira às 15h
25/11 – quarta-feira às 15h

Saiba mais

A “Websérie Oratórios” é uma adaptação do espetáculo de mesmo nome. Os episódios da série trazem personagens que revelam temas como as manipulações humanas, a discriminação
racial, de gênero, abusos e outras disfunções sociais.

Classificação: 14 anos
Gênero: Drama
Duração: 20 min

Ficha técnica:
Realização: Corpo Cênico da Escola do Futuro em Artes Basileu
Elenco: Catarina Vilela, Hitallo Torquato, Mel Gonçalves, Paula Pereira, Roberta Machado, Wânio Kamenach
Roteiro: Corpo Cênico – Escola do Futuro em Artes Basileu França.
Estruturação dramatúrgica: Paulo Morais
Orientação Pedagógica e Direção: Eliana Santos
Assistente de Direção: Paulo Morais
Direção de fotografia: Marta Aragão
Som direto: Cindy Faria
Preparadora Corporal: Flávia Honorato
Preparador Vocal: Rubens Rodrigues Iluminação: João Victor Fernandes e
Nathália Carneiro
Direção de Arte: Vanessa Croft
Produção: Hitallo Torquato
Edição e montagem: Paulo Morais, Vinicius Rezende e Catarina Vilela
Assistente de Produção: Wânio Kamenach
Concepção estética: Jéssika Hannder
Tutoria: Graziela de Sena
Coordenação do Teatro: Elcivan Luciano lima
Diretora da Escola do Futuro em Artes Basileu França: Lóide Magalhães

Este projeto contou com a tutoria de Graziele Sena

Teatro na Escola

Criações de minuto

No Instagram @fetoteatro
*Trabalhos com até dois minutos de duração

Cordel da Lapa

Escola Estadual Profª Daura de Carvalho Neto – Antônio Pereira | Ouro Preto | MG

19/11- quinta-feira às 12h

Saiba mais

Mini curta que narra a história da aparição da Imagem de Nossa Senhora numa gruta, em
Antônio P Pereira, Distrito de Ouro Preto-MG. O local, hoje, é um santuário, que recebe peregrinos o ano todo. A criação é do aluno Pedro Lucas dos
Santos Martins, do 6 ano da Escola Estadual Profª Daura de Carvalho Neto, com a orientação da Professora Renata Duarte, de Artes.O trabalho foi elaborado dentro das solicitações do edital para a participação no FESTECO2020 – Festival de Teatro Comunitário de Mariana – online. Na categoria Cordel, alcançou o primeiro lugar.

Classificação: Livre
Gênero: Cordel
Duração: 2 min

Ficha Técnica:
Cordel da Lapa – mini curta: Lenda de Nossa Senhora da Lapa e criação do Santuário Gruta
da Lapa em Antonio Pereira – MG
Criação, Locução, Filmagem, Roteiro e Figurinos: Pedro Lucas dos Santos Martins
Orientação Pedagógica: Prof. Renata Duarte Escola Estadual Profª Daura de Carvalho Neto – Antonio Pereira/ Ouro Preto – MG
Crianças: Giovana da Silva Santos, Christian Eugenio de Oliveira, Bianca Talita dos Santos
Edição: André Luis dos Santos Martins
Mãe: Angelita Izabel dos Santos
Diretor Escola Daura: Fabricio Nepomuceno

Sistema offline - Um experimento online

Núcleo de Experimentação Cênica – Escola de Teatro Trupe de Truões – Uberlândia | MG

21/11 – sábado às 12h

Saiba mais

Pane no sistema, alguém nos desconfigurou! “Sistema Offline – Um Experimento Online” traz os vícios causados pela conexão digital, pelo bombardeio de informações na internet, e os efeitos nos corpos e mentes quando privados desse advento. Inspirado no texto “Sistema Offline” de Rafael Lorran

Classificação: Livre
Gênero: Experimento Performático
Duração: 2 min

Ficha técnica:
Alunes/Criadores: Ana Laura Reis, Antônio Mendes, Duda Costa, Julia Lucatti, Karine Vitória, Maeu Rocha, Maria Vitória
Alunas Colaboradoras: Alícia Coelho e Érica Santos
Roteiro e Ambientação: Núcleo de Experimentação Cênica – Escola de Teatro Trupe de Truões
Professor/Edição/Direção: Ernane Fernandez
Coordenação Pedagógica: Ronan Vaz
Suporte Técnico de Edição: Lucas Mali e Amanda Barbosa
Músicas: Trecho de “Blood Walk”; de Cabaret Nocturne e Trecho de “Imagine”; de John Lennon
Edição de Áudio: Ernane Fernandez

Migraaaantes: a voz e o caos

Fulcro Abstração – Alta Floresta | MT

23/11 – segunda-feira às 12h

Saiba mais

Uma cantora turca, que não tem o direito de cantar em seu país. A cena, nomeada de “A voz e o caos”, mostra a realidade de uma mulher no Oriente Médio.

Classificação: 12 anos
Gênero: Drama
Duração: 2 min

Ficha Técnica:
Direção de arte: Aline Leles
Encenação e direção geral: Eduardo Machado
Edição e direção de som: Gustavo Domingues
Assistente de direção: Jayana Mota
Produção: Jonatans Nunes, Leonardo Berlanda
Edição e direção de imagem: Lucca Faria
Ator/locutor: Marcos Balbino
Atriz/locutora: Samira Paola
Produção: Geovana Bauli

Experimentos cênicos

No canal do Youtube do FETO
*Trabalhos com até 10 minutos de duração

Meet

Corpo Composto – Aparecida de Goiânia | GO

20/11 – sexta-feira às 18h30

Saiba mais

Quais os limites entre real e virtual? Como nosso corpo reflete a sensação de que está se tornando cada vez menos visto apesar de exposto todo o tempo? Meet fala das mudanças na vida de 5 jovens durante o isolamento social pela covid-19.

Classificação: 10 anos
Gênero: Artes Cênicas
Duração: 9 min

Ficha técnica:
Direção: Giovana Consorte
Concepção, roteiro e imagens: Bárbara de Carvalho, Giovana Consorte, Hauany Aquino, Karyne Mariano Vieira, Rafaela Pereira, Rousejanny Ferreira e Ysaías Cardoso
Intérpretes-Criadores: Bárbara de Carvalho, Hauany Aquino, Karyne Mariano, Rafaela Pereira e Ysaías Cardoso.

Este espetáculo contém audiodescrição

Silêncio

Colégio Viver e Aprender – Campos do Jordão | SP

21/11 – sábado às 18h30

Saiba mais

“Eu vim ao mundo”. Assim se inicia a série de autoacusações presentes no texto de Peter
Handke. Acusações que trazem à tona um olhar para comportamentos considerados como naturais, criando um jogo que transita entre os gestos de viver e fazer teatro.

Classificação: 14 anos
Gênero: Drama
Duração: 10 min

Ficha técnica:
Texto: Peter Handke
Direção: Danilo Riva
Elenco: Ana Raphaela Pereira, Bianca Ribas Diniz, Bruna Oliveira Pessanha Zoffoli, Camile Vitoria Silva de Lima, Felipe Gabriel Oliveira de Castro, Flavia Beatriz Alves da Costa, João Pedro Gomes Lemes, Julia Aparecida Lobo Costa, Julia Fabienne Silva e Costa, Kauani Gonçalves da Silva, Maicon José dos Santos Junior, Maria Julia Cunha Silva de Lima, Mariana Victoria Ribeiro da Silva Costa, Matheus Augusto Oliveira Machado, Nicole Viana da Silva, Yuri de Morais Prestes
Edição: Ricardo Aquino

Sonhando juntos

Grupo UniTribos – Lauro de Freitas | BA

21/11 – sábado às 18h30

Saiba mais

Jovens catadores de recicláveis, enquanto se organizam para dormir, no espaço da rua, relatam sonhos de vida, desejos, inquietações e sonham com a possibilidade de se tornarem artistas.

Classificação: livre
Gênero: Drama
Duração: 10 min

Ficha técnica:
Professora, direção e roteiro: Eliete Teles
Elenco: Alessandra Meneses de Araújo, Daniel Batista dos Santos, Luan Isaltino dos Santos, Adriele Rodrigues Santos, Ravena Meneses de Araújo, Stephanie Cruz Ribeiro, Vinícius Cruz da Silva, Gabriel Batista dos Santos, Mateus Aragão dos Santos

Não

Escola Municipal de Teatro/Escola de Teatro Faces – Primavera do Leste | MT

23/11 – segunda-feira às 18h30

Saiba mais

Uma epidemia se espalha na cidade, e um grupo de estudantes liderado por um professor, decide viajar além das montanhas, na expectativa de encontrar a cura para a doença devastadora.

Classificação: Livre
Gênero: Dramático
Duração: 10 minutos

Ficha técnica:
Dramaturgia: Ana Paula Dorst
Direção: Ana Paula Dorst
Elenco: Sabrynne Alves (O menino), Nicole Langner (O professor), Pedro Henrique Barbosa (Os Três Estudantes), A Mãe (Giovanna Alves Frota), O Grande Coro (Carlos Roberto Zennatti Pires, Nicolas Hommes e Rodsley Nathan Gomes

Migas!!!

Companhia Futuro / Instituto BH Futuro – Belo Horizonte | MG

23/11 – segunda-feira às 18h30

Saiba mais

Duas amigas voltam a conversar depois de meses, durante o período da quarentena, e compartilham, de forma divertida, como tem sido o dia a dia, em tempos de pandemia.

Classificação: Livre
Gênero: Comédia de Costumes
Duração: 5 min

Ficha técnica:
Atrizes: Giovanna Lima e Gabriela Itelvino
Roteiro: Giovanna Lima, Gabriela Itelvino e Allan Calisto
Direção e edição: Allan Calisto

Fazendo ao vivo

No canal do Youtube do FETO
*Propostas transmitidas ao vivo pelo festival

Dog Day - Leitura cênica na escola

Grupo Teatro em Extensão da UERGS – Montenegro | RS

18/11 – quarta-feira às 16h

Saiba mais

Proposta de leituras gravadas de fragmentos da peça “Dog Day”, que integra o livro “Dog Day
e Diálogos nas folhas em Branco” (EDIPUCRS, 2018). A peça retrata o amanhecer e adormecer de dez personagens que perpassam por encontros e desencontros solitários, numa cidade onde as luzes nunca se apagam.

Classificação: 14 anos
Gênero: Drama
Duração: 35 min

Ficha técnica:
Direção e orientação: Marli Sitta
Dramaturgia: Fernanda Moreno
Atuação: Fernanda Moreno, Ismael Goulart e Tiago Martinelli
Sonoplastia: Ismael Goulart
Realização: Grupo de extensão: Construção da docência em teatro da UERGS

E se fôssemos nós?

Teatro JN – São Vicente | SP

20/11 – sexta-feira às 16h

Saiba mais

Uma trupe adentra o palco virtual para contar em quatro fragmentos a história de uma sociedade criada no fundo do mar. Livremente inspirada na obra “Se os tubarões fossem homens” de Bertold Brecht.

Classificação: livre
Popular: Real e Lúdico
Duração: 20 min

Ficha técnica:
Direção: Igor Ferreira
Direção de Elenco: Chris Obeck
Roteiro: Fabio Martins, Fabrynny Tenorio, Diogo Ribeiro, Lays Cristina, Laysa Vitoria, Enzo Miguel e Igor Ferreira
Direção de arte e Figurino: Ozzy
Cenário e Iluminação: Grupo
Sonoplastia: Guilherme Zupo
Elenco: Fabio Martins, Fabrynny Tenorio, Diogo Ribeiro, Lays Cristina, Laysa Vitoria, Enzo Miguel
Produção: Grazi Ramos
Edição e Montagem: Diany de Jesus
Transmissão ao vivo: Vanessa Salgado
Apoio: Instituto Camará Calunga e Escola José Nigro

Ideias confinadas

No canal do Youtube do FETO
*Trabalhos de até 20 minutos que contaram com a tutoria de um profissional das artes cênicas
indicado pelo FETO.

João Paneiro

Grupo Entrecena – São Luís | MA

19/11 – quinta-feira às 19h

Saiba mais

O trabalho trata de relatos mais comuns sobre a lenda da serpente, figura emblemática da Ilha de São Luís, ora se apresentando como uma princesa encantada, ora como o dragão de São Jorge ou, ainda, como um ser descomunal, com escamas faiscantes.

Classificação: Livre
Gênero: Teatro de atores e animação (musical)
Duração: 20 min

Ficha técnica:
Ficha técnica:Diretor geral: Jorge Milton
Autores: Tácito Borralho e Josias Sobrinho
Direção musical e sonoplastia: Micael Carvalho
Direção de arte da concepção visual: Beatriz Sousa
Atuação, sonoplastia, edição de vídeo e adereços: Ana Rafaele Oliveira
Atuação, sonoplastia, figurino e artesão bonequeiro Mateus Mesquita
Atuação e sonoplastia: Douglas Borges
Atuação, sonoplastia e adereços: Vitória Chagas
Iluminação e sonoplastia: Lucas de Paula
Atuação, sonoplastia e adereços: Guilherme Reis
Atuação, sonoplastia e adereços: Beatriz Araújo
Atuação, sonoplastia, figurino e adereços: Raquel Aguiar
Atuação e sonoplastia: Amanda Sousa
Atuação e sonoplastia: Lyan Ferreira, Atuação, sonoplastia e adereços: Jéssica Souza
Atuação e sonoplastia: Thalita Soares
Atuação e sonoplastia: Mickaelly Costa

Este projeto contou com a tutoria de Raquel Castro

Minha janela se abriu pra praça

Grupo Alta – EE Professor Altamir Gonçalves – Sorocaba | SP

21/11 – sábado às 19h

Saiba mais

Criação coletiva, a websérie narra a história de dez meninas que se encontram virtualmente no grupo de mensagens para falar das lembranças da pracinha perto da escola e compartilhar seus anseios e sentimentos vividos na pandemia. Temas como, acesso à internet, rotina, momentos de lazer, Covid e universo da menina, são abordados na peça.

Classificação: livre
Gênero: Comédia/Drama
Duração: 19 min

Ficha técnica:
Elenco: Mariana Sberthny, Maria Eduarda, Sofia Gentil, Amanda Fogaça, Lorena Freire, Maria
Carolina, Letícia Sianga, Yasmin Maria, Clara Ayumi, Bárbara Lima, Bruna Giampaoli, Emilia
França
Roteiro, figurino e cenografia: criação coletiva
Direção geral e edição: Marcos Clóvis Fogaça
Professor tutor: Vicente Concilio
Filmagens: Débora Sousa Santos, Marcos, Denise, Alan Cieczinski Lemes, Bruno, Lilian Regina, Marilene Arnaldo Sianga, Cintia, Guilherme, José, Cinthia, Bárbara, Patricia
Músicas: “Se Liga” – Porffirio / “A Nossa Lua é Flicts” – Marcos Fogaça / “Esperançar” – Amanda Fogaça / “Cachorro Amarelo” – Amanda Fogaça, Marcos Fogaça

Este projeto contou com a tutoria de Vicente Concílio

Olhares

*Rodas de conversa sobre cada trabalho apresentado no festival

Escolas de Teatro

No canal do Youtube do FETO

22/11 – domingo – 17h

AGORA É QUE SÃO ELAS – Coletivo Delas \ Criciúma [SC] (Experimentos cênicos)
AMÉRICA DAS OUTRAS – Endêmica Coletiva \ São Paulo [SP] (Experimentos cênicos)
ENTRE NÓS- ESPETÁCULO VIRTUAL – Teatra das Rosas \ Rio de Janeiro [RJ] (Fazendo ao vivo)

Mediação: Marina Viana e Nina Caetano

23/11 – segunda – 17h

PRETA ROSA EGIPCÍACA – Cia Teatral Caminho do Sol \ Mariana [MG] (Experimentos cênicos)
FRAGMENTOS DISSO QUE CHAMAMOS VIDA – Espetáculo fruto de apresentação de TCC\ Dourados [MS] (Fazendo ao vivo)

Mediação: Marcos Alexandre e Michelle Sá

24/11 – terça – 17h

MANIFESTO POR UM TEATRO DO OLHO – Teatro do Olho \ Rio de Janeiro [RJ] (Criações de minuto)
ANTES DE FALAR JÁ NÃO SE OUVE – Ateliê Colaborativo \ Santa Maria [RS] (Criações de minuto)
PARADINHA – Bárbara Casseb \ Belo Horizonte [MG] (Criações de minuto)

Mediação: Gil Esper e Raquel Castro

25/11 – quarta – 17h

WEBSERIE ORATÓRIOS -Corpo Cênico – Escola do Futuro em Artes Basileu França \ Goiânia [GO] (Ideias confinadas)
EXERCÍCIOS PARA DIAS ESTRANHOS – Corre Coletivo \ Belo Horizonte [MG] (Experimentos cênicos)

Mediação: Paulo Celestino e Raquel Castro

26/11 – quinta – 17h

VOZES DO CORPO – Fanchecléticas \ Belo Horizonte [MG] (Experimentos cênicos)
TÁ TUDO BEM, VAI FICAR TUDO BEM! – Grupo Palas \ Belo Horizonte [MG] (Ideias confinadas)

Mediação: Idylla Simarovi e Michelle Sá

Teatro na Escola

Encontros fechados no Zoom entre mediadores e participantes

20/11 – sexta – 14h

JOÃO PANEIRO – Grupo Entrecena \ São Luís [MA] (Ideias confinadas)
CORDEL DA LAPA – Escola Estadual Profª Daura de Carvalho Neto \ Antônio Pereira | Ouro Preto [MG] (Criações de minuto)

Mediação: Fabiana Brasil e Mariana Arruda

22/11 – domingo – 14h

SILÊNCIO – Colégio Viver e Aprender \ Campos do Jordão [SP] (Experimentos cênicos)
SONHANDO JUNTOS – Grupo UniTribos \ Lauro de Freitas [BA] (Experimentos cênicos)

Mediação: Eduardo Kawamura e Raysner de Paula

23/11 – segunda – 14h

DOG DAY: LEITURA CÊNICA NA ESCOLA – Grupo Teatro em Extensão da UERGS \ Montenegro [RS] (Fazendo ao vivo)
MEET – Corpo Composto \ Aparecida de Goiânia [GO] (Experimentos cênicos)
SISTEMA OFFLINE – UM EXPERIMENTO ONLINE – Núcleo de Experimentação Cênica – Escola de Teatro Trupe de Truões \ Uberlândia [MG] (Criações de minuto)

Mediação: Charles Valadares e Tiago Cruvinel

24/11 – terça – 14h

MINHA JANELA SE ABRIU PRA PRAÇA – Grupo Alta – EE Professor Altamir Gonçalves \ Sorocaba [SP] (Ideias confinadas)
MIGRAAAANTES: A VOZ E O CAOS – Fulcro Abstração \ Alta Floresta [MT] (Criações de minuto)
MIGAS!!! – Companhia Futuro – Instituto BH Futuro \ Belo Horizonte [MG] (Experimentos cênicos)

Mediação: Marcos Alexandre e Marina Viana

25/11 – quarta – 14h

E SE FÔSSEMOS NÓS? – Grupo Teatro JN \ São Vicente [SP] (Fazendo ao vivo)
NÃO – Escola Municipal de Teatro – Escola de Teatro Faces \ Primavera do Leste [MT] (Experimentos cênicos)

Mediação: Gil Esper e Vicente Concílio

Mostra Memória

No canal do Youtube do FETO
*Exibição de 22 trabalhos (na íntegra ou trechos) apresentados nas edições anteriores + bate-papos

Fotos: Daniel Protzner

Brasil que história é essa?

Teatrama

1999

Saiba mais

Peça teatral encenada por 32 alunos da Escola Municipal Hilda Rabelo Matta, em 1999, celebra e questiona os 500 anos da invasão de Pindorama, conhecida como Descobrimento do Brasil. A peça atravessa os 500 anos utilizando-se  de várias esquetes, cheias de sátira e de humor, narrada por três palhaças.

Ficha técnica:
Atores: Alessandro Machado da Silva, Bernardo Pinto Freitas, Cleumar Janaina Almeida, Daniel Pereira de Andrade, Daniella Estefânia Rodrigues de Almeida, Danúbia Grazielle Barbosa, Elaine Nunes Perucci, Elizabeth Lopes Soares, Emanuel Lucas Ribeiro Rodrigues, Erica Cardoso de Souza Ascêncio, Flávia Fernandes de Oliveira, Gabriela Paula de Oliveira, Geisiane Helena Muniz, Grazielle Álves da Silva, Grazielle Deboni da Fonseca, Harlam Emanuel R da Rita, Izabel Geovana de Almeida, Izabela Paulino Sereno, Joelma Alves Santos, Juliana S. Lemos, Jusceli Sudário do Carmo, Marcos Jefersom da Silva, Paula Amorim Capua, Renata Foureaux de Faria, Shirlei de Souza Silva, Tiago Alves da Silva, Tiago Loures Moreira, Túlio de Souza Maia
Direção Geral: Marília Marques
Direção: Adriane Garcia
Responsável Técnico: Lyege Chiacchio
Maquiagem: Heloísa Portugal

Nunca acredite em Gnomos

Art Oficio

2001

Saiba mais

Três irmãs foram sequestradas por uma bruxa maquiavélica. Cansadas dos abusos da malvada, ao crescerem, elas conseguiram fugir da caverna, onde foram criadas. Uma vez que a inteligência não era o ponto forte das três, elas foram convencidas, por um gnomo, a seguirem um caminho que as levariam a uma “esmeralda”. Entre enganos, tropeços e confusões, elas jamais imaginariam que a Esmeralda prometida pelo gnomo era assim: com E maiúsculo.

Ficha técnica:
Elenco: César Rocha, Daniela Coelho, Douglas Cunha, Karla Dayane, Kátia Fernandes, Liézio Júnior, Talita Vivian, Wagner Fernandes
Texto e direção: Kátia Fernandes

O pote vazio

Las Meninas

2009

Saiba mais

A imperatriz do país das flores percebe que é chegada a hora de encontrar um sucessor para seu trono. Resolve então lançar uma competição que tenha a cara do país. Distribui sementes a todas as crianças para descobrir quem é capaz de cultivar a mais bela flor. O que ninguém sabe é que a Imperatriz está buscando uma flor
diferente e muito especial.

Ficha técnica:
Elenco: Cristina de Jesus Silva, Átila Fernanda Francisco Pereira, Pâmela Pereira da Silva Soares, Brenda Luíza de Araújo, Ivana Rodrigues, Ana Claúdia dos Santos Ribeiro, Bianca Letícia Menezes Nunes
Direção: Josiane de Fátima Souza
Figurino: Josiane de Fátima Souza
Cenografia: Idealizada coletivamente pelo grupo Las Meninas
Responsável pela trilha sonora: Josiane Souza
Texto: Inspirado na obra O pote Vazio (Demi)
Apoio: Wanderson Carlos

O pequeno Barão

Oficininha de Teatro

2006

Saiba mais

Cosme é um menino de 14 anos que, para fugir de mais um castigo imposto pela tia Batista, uma solteirona rancorosa, foge para o alto de uma árvore no quintal de casa. Num impulso irreversível, ele decide nunca mais descer e permanece ali até a velhice, vivendo impensáveis aventuras e empreendendo grandes feitos, mas também sofrendo perdas e experimentando decepções.

Duração: 55 min

Ficha técnica:
Elenco/ Personagens
Amina Jorge Valadares – João Do Mato
Andréa Gomes Da Silva – Viola
Bernardo Alves De Assis – Armínio E Bonitão
Camila Aroeira Tiso De Melo – Rondozinha
Elba Rocha Vieira – Generala
Henrique Brener Vertchenko –cosme
Joana Moreira Mendes – Hugão
João – Gato Do Mato
Klaís Bicalho –biágio
Marina Braga Campos – Batista
Gabriella Jorge Lavinas – Stand By
Figurino: O Grupo
Direção: Ana Domitila Mendonça Maciel –
Iluminação E Cenário: Ana Domitila Mendonça Maciel
Texto: Adptação De Italo Calvino

Putz – a menina que buscava o Sol

Oboré Cia.

2006

Saiba mais

Quando Putz era bebê, seu pai torcia para que ela fosse vermelha como ele, sua mãe, azul, queria que ela tivesse a mesma cor, seu avô desejava uma neta amarela igual a ele, o tio queria que ela também se tornasse verde e os irmãos que ela tivesse a cor deles. Alguns anos mais tarde, a menina resolve ser multicolorida e vai em busca do Sol, cuja luz reúne todas as cores. No caminho ela encontra muitos obstáculos, mas também alguns aliados, que vão encorajá-la a realizar seu sonho.

Ficha técnica:
Diego Andrade – Chefe, Pássaro
Ires Gonçalves – Putz
Licinéia Santos – Vento Sul, Árvore 02
Naiany Nascimento-Poste de Luz, Árvore 01
Natasha Ribeiro – Coelho, Vaga-lume
Sabrina Amorim – Cavalo, Vaga-lume
Stephanie Andrade – Putz
Henrique Limadre e Julia Guimarães – Direção Geral
Rodrigo Marçal – Iluminação
Admar Fernandes – Sonoplastia
O Grupo Oboré – Cenário e Figurino
Texto: Maria Helena Kühner

Os Saltimbancos

Teatro Nós Cegos

2007

Saiba mais

Os Saltimbancos – Grupo de Teatro Nós Cegos- Belo Horizonte/MG – Classificação: livre Os Saltimbancos é um espetáculo encantador e divertido que conta a história de quatro animais audaciosos que, certo dia, decidem abandonar seus patrões e tentar a vida na cidade.

Ficha técnica:
Elenco:
Domênico Fillipo (Jumento), Gleice Santana (Gata), Juliano Lopes (cachorro), Priscila Melo (galinha), Renato Rênady (barão e pianista)
Direção Cênica: Kelly Crifer
Texto Original: Sérgio Bardotti
Tradução e Adaptação: Chico Buarque
Fábula Musical Inspirada no conto dos Irmãos Grimm “Os músicos de Bremen”
Direção Musical e Arranjos: Renato Rênady
Iluminação: Rogério Araújo
Cenário e Figurino: Ricca
Maquiagem: Elisinha

Qorpo Santo

Cia. Preqária

2006

Saiba mais

O espetáculo é uma farsa cômica que faz ligação entre três textos do escritor maldito José Joaquim de Campos Leão Qorpo Santo. São eles: “O credor da fazenda nacional”, uma crítica à burocracia, “As relações naturais”, que aborda os desejos reprimidos do ser humano, o erotismo exacerbado e os pecados da carne, e “Mateus e Mateusa”, que mostra as irônicas relações de amor e ódio entre um casal de velhos e suas três filhas.

Duração: 75 min

Ficha técnica:
Elenco/ Personagens
Bárbara Campos – Um Dos Empregados / Mildona
Carol Grigoli – Chefe De Seção / Catarina
Guilherme Thiago – Leopoldino Contador / Malherbe
Joao Paulo Valadares – Outro Credor / Truquetruque
Kenya Goulart – Continuo / Mariposa
Luciene Bernardes – Sr. Barbosa / Interpreta / Mateusa
Luisa Couto – Outro Continuo / Marca
Mariana Tozzi – Outro Empregado /Pedra
Max Leandro – Credor / Barriôs
Rachel De Andrade – Porteiro / Júlia
Renato Amado – Um Empregado / Mateus
Ronaldo Matos – Major / Inesperto
Tacyane Guimaraes – Empregado / Consoladora / Silvestra
Thiago Prata – Certo Individuo/ Impertinente
Enedson Gomes – Iluminação
Luciene Bernades E Thiago Prata – Cenário
Luciene Bernades ,Thiago Prata E Rachel De Andrade – Figurino
Yuri Simon – Direção
Adaptação Textos: José Joaquim Leao Qorpo Santo

À espera

Roda Viva

2006

Saiba mais

O espetáculo faz uma reflexão sobre as relações humanas nos dias de hoje, quando tudo é fugaz e todos vivem com pressa. Em meio a uma guerra, dois personagens fazem uma surpreendente viagem em busca do auto conhecimento, constatando que um precisa do outro para comprovar sua existência. A peça é o resultado de uma longa pesquisa sobre o Teatro do Absurdo, e foi inspirada em textos de Samuel Andreza Coutinho Becket, Fernando Arrabal e Eugene Ionesco.

Duração: 60 min

Ficha técnica:
Elenco/ Personagens
Daniela Graciere: Mulher Com Lampião
Rafael Lucas: Homem Com Lampião
Fellipe Marcondes: Soldado
Lúcio Honorato: Sr. Tépan
Malu D’angelo: Sra. Tépan
Randolpho Lamonier: Soldado Inimigo
Diogo Horta: Homem Pequeno Com Lanterna Na Cabeça
Letícia Santos: Mulher Com Lanterna Na Cabeça
Cleyton Fagundes: Homem Grande Com Lanterna Na Cabeça
Natália Moreira: Mulher De Cabelos Revoltos
Anna Carolina Tavares: Mulher Com Cabelo Liso
Marcelo Veronez – Iluminação
Randolpho Lamonier – Cenário
Marcelo Veronez – Figurino
Marcelo Veronez E Rafael Vilar – Direção
Adaptação – Texto

Garatuja – Barba azul e Outras Histórias

Garabateios Investigações Teatrais

2008

Saiba mais

Releitura da história do Barba Azul a partir de dois pontos de vista: o de narradores que ora contam, ora interpretam o que se passou no casarão do Barba Azul e o dos investigadores que, deslocados temporalmente, adentram o casarão para desvendar seus segredos. O publico é conduzido a uma aventura pelos campos da imaginação, em um ambiente permeado por curiosidade, mistério e medo.

Ficha técnica:
Andrea Baruqui – Contadora 1 – (a que fica com um balde na mão) e diabo
Roberson Domingues – Contador 2 e Barba Azul
Sílvia Andrade – Contadora 3 (a que carrega as chaves) e diabo
Patrícia Marra – Investigadora atrapalhada, subalterna
Denise Sperandelli – Investigadora chefe
Equipe:
Direção: Eugênio Tadeu e Roberson Domingues
Autores: Eugênio Tadeu, Poliana Tuchia e Roberson Domingues
Preparação de atores: Roberson Domingues
Trilha sonora: Eugênio Tadeu, com músicas de Judith Akoschyk (Danza de Nicanora) e citações das seguintes obras: Ermst Mahle (Concertino para contrabaixo sobre Atirei o pau no gato) e Gyorgy Ligeti (Chamber Concerto e String Quartet Nº2).
Figurinos: Priscila Venturim e o grupo
Cenário: o grupo
Sonoplastia: Léo Campos
Iluminação: Cristiano Diniz

Atrás do Arco Iris

Cia Teatral Crepúsculo

2011

Saiba mais

Em “Atrás do Arco-Íris” a Cia Teatral Crepúsculo nos convida a entrar no mundo da imaginação e encontrar Lili, uma menina que ao ganhar um livro mágico, passa a viver muitas aventuras e descobre a alegria de conhecer pessoas, bichos, coisas e histórias tão diferentes.

Ficha técnica:
Texto: Criação coletiva
Direção: Clóvis Domingos
Coordenação de Pesquisa: José Augusto Vieitas
Coordenação Geral: Luciane Kattaoui
Atuação: Adriana Borges, Bruna Corrêa, Cláudia Rodrigues, Carolina Rodrigues, Carusa Drumond de Andrade, Eduardo Gontijo, Fabrício Fonseca, Gustavo Siqueira, Luciane Kattaoui, Mariana Garcia, Matheus Canesso e Thiago Lopes
Figurino e cenário: Míriam Menezes
Iluminação: Tainá Rosa
Colaboração: Cláudio Márcio Lima e João Bosco Veras

Diário de um Pássaro

Móbile Companhia Circocênica

2010

Saiba mais

Fernão nasceu pássaro… e em sua estranha gaiola, de portas abertas, ensaia seus vôos. Mas não sabe a hora de conquistar alturas e voar dias inteiros. Até que ponto nossas crenças nos levam a arriscar o encontro ao chão ou, ainda, aos céus? Há momentos em que adiamos escolhas inevitáveis… Com asas em curvas de dores, Fernão levanta e voa. Porque voar é importante, mais que comer e viver.

Ficha técnica:
Elenco: André Pastore, Clarice Rena e Diego Krisp
Direção: André Pastore e Clarice Rena
Texto: Antônio Hildebrando
Músicos: Priscilla Cler e Vinicius Melo
Arranjos: Priscilla Cler e Vinicius Melo
Preparação Vocal: Priscilla Cler
Preparação Corporal: Diego Krisp
Orientação de técnicas aéreas circense: André Pastore
Figurinos: André Pastore, Clarice Rena e Diego Krisp
Confecção de figurino: Clarice Rena
Cenário: André Pastore, Clarice Rena e Diego Krisp
Fotos: Flávia Peluzzo
Iluminação: Samuel Brandão
Assistente de iluminação: Arthur Amorim
Operação de Luz: Samuel Brandão e Ana Paula Torres
Produção: Clarice Rena e Ana Paula Torres
Técnica e contra-regragem: Ana Paula Torres e Arthur Amorim
Orientação Teórica: Maria Clara Lemos dos Santos

Alice

Grupo Faces Jovens

2019

Saiba mais

Neste espetáculo se entrelaçam o jogo, a fábula, o desconhecido, o misterioso, o sonho e a realidade que habitam em cada um de nós.

Ficha técnica:
Direção e dramaturgia: Wanderson Lana
Elenco: Paulo Lucas, Camila Wandscheer, Dani Whittemore, Hiago Gonçalves, Isabela Cassimiro, Jeisy Sá, Marcione Neves, Thairo Meneghetti, Wellini Izidre, Sabrina Nathany e Paulo Santos
Sonoplastia: André Sontak
Iluminação: Wanderson Lana
Figurino: Criação coletiva
Cenário: José Messias De Lana
Grafiti: Criação coletiva
Fotografia: Bruna Obradowski, Fares Rames
Produção: Dani Whittemore e Hiago Gonçalves

Num Pacato Vilarejo

Cia. De Teatro Pés Descalço

2011

Saiba mais

Vejamos na multiplicidade da vida a mesma beleza que existe nas cores de um arco-íris.

Ficha técnica:
Direção – Lucas Emanuel
Dramaturgia- Lucas Emanuel (baseado na obra de Hebe Coimbra)
Elenco: Carol Coimbra, David Rafael, Fabíola Ferreira, Marcos Antônio, Laura Marcelle, Joyce Hellén, Yuri Lee.
Criação de Cenário – Lucas Emanuel
Montagem do Cenário – Elenco
Figurino – Vera Lúcia e Lucas Emanuel
Execução do Figurino- Margarete Gomes
Trilha Sonora – Joyce Kelly, Lucas Emanuel e David Rafael
Preparador Vocal – David Rafael
Preparação Corporal-Lucas Emanuel e Fabíola Ferreira Desenho de Luz – Lucas Emanuel
Operadora de Iluminação- Luana Cristina
Preparação de Atores – Dirce Elaine
Assitente de Palco- Vera Lúcia
Fotografia – Vera Lúcia
Maquiagem- David Rafael e Lucas Emanuel
Colaboradores – Jaqueline Salum, Germano Siqueira, Jeam Charles, Junio Wesley, Totonho Frete, Lavanderia Silva Araújo

Negra sou

Cabe na Sacola

2017

Foto: Glenio Campregher

Saiba mais

Passando por momentos como a revolta das chibatas e o regime militar, o espetáculo construído colaborativamente pelo grupo Cabe Na Sacola tem como temática o preconceito de cor e conta com canções e cenas que fazem alusão a importantes episódios históricos brasileiros.

Ficha técnica:
Direção: Palmira Rodrigues Palhano
Dramaturgia: Grupo Cabe na Sacola
Preparação vocal: Clara Talha Técnico
Iluminador: Eloy Pessoa
Iluminação: Eloy Pessoa
Figurino/ Adereços: Construção Coletiva
Elenco: Beatriz Angelina Ramalho, Clara Talha Melo de Sousa, Emmanuel José Jacques, Gabriel Nóbrega Vieira, Ianca Sobrinho, Joabe Freire de Macena, Lucas Benjamin Potiguara, Maria Fernanda Nascimento Pontes, Olívia Doria Santana, Palmira Rodrigues Palhano, Raana Rocha Lima, Victor Yankee Alves Barbosa, Djaílson Pessoa Ferreira

O carteiro de Bonecas

Grupo Brinquedo Torto

2012

Saiba mais

Uma passagem misteriosa e singular da vida do escritor Franz Kafka, que um dia encontrou uma menina chorando porque havia perdido sua boneca. Para acalmar a garotinha, inventou uma história – a boneca não estava perdida; tinha viajado e ele, um ‘carteiro de bonecas’, estava com uma carta, que lhe entregaria no dia seguinte. Uma linda história sobre a criação de laços, amizade, saudade e crescimento.

Ficha técnica:
Texto: Ronaldo Ventura
Músicas: Hugo Camilo E Varlei Xavier
Produção E Direção Geral: Varlei Xavier
Assistência De Direção: Carol Tello
Confecção De Figurinos: Color Drops Clothing (Bianca Gomes)
Figurinos: Roberta Conde
Produção Executiva: Roberta Conde
Violão: Luana Carrion | Elenco: Anna Ediene, Cathy Frasseto, Duda Oliveira, Eloisa Almeida, Emily Rojas, Fernanda Ruiz, Gabriela Ortega, Gabriela Vilas Boas, Giovanna Oliveira, Gustavo Santinon, Isabela Alves, Marina Alves, Jeniffer Alvite, Kananda Oliveira, Keyla Fattori, Nathalia Santana, Pamela Neres, Thayna Revuelta

O Homem do Banco Branco e a Amoreira

Minha Nossa Cia de Teatro

2010

Saiba mais

O espetáculo conta a história de um menino que espera seu amor, perdido nos trilhos do “trem-tempo”, para juntos compartilharem os frutos da
amoreira.

Ficha técnica:
Diretora: Talita Neves
Produtor: Bruno Nicoletti
Técnico de som: Bruno Nicoletti
Elenco: Fernanda Perondi e Léo Moita
Autor: Léo Moita
Iluminador, operador luz: Raul Freitas
Cenógrafo, cenotécnico, contra-regra: Varlei Janei

Eu só quero é ser Feliz

Geupo Naem

2017

Saiba mais

O espetáculo se passa numa comunidade fictícia do Rio de Janeiro chamada Vista Azul. Nela, um grupo de amigos que busca seus sonhos, mas tem como obstáculos o preconceito, a falta de oportunidades e a violência do ambiente em que vivem. As dificuldades se intensificam quando alguns deles acabam entrando para a criminalidade. Seria esse um caminho sem volta?É possível concretizar sonhos em meio às tantas adversidades? Dilemas como esses são abordados nesse divertido e emocionante espetáculo.

Ficha técnica:
Direção: Éder Montalvão
Assistente de direção: Hector Gomes
Elenco: Éder Montalvão, Ayane Monteiro, Taissa Silva, Klaus Amaro, Gean Dias, Rayanne Inácio, Jean Lacrot, Emely Helen, Hector Gomes, Lucas Pavarotti, Kelly Fournier, Lucas Antenor, Vinícius Mariano, Jéssica Honorato, Marcos Fontineli, Madu Cerca e Kássia Kellen
Iluminação: Kamilla Reis
Operação de luz: Raphael Janeiro
Operação de som: Juan Guimarães
Produção: Éder Montalvão
Assistente de produção: Júlia Feijó

Vazio é o que não falta, Miranda

Teatro Inominável

2013

Saiba mais

Quatro atrizes e um diretor tentam encenar Esperando Godot, de Samuel Beckett, sem sucesso.

Ficha técnica:
Direção E Dramaturgia: Diogo Liberano
Assistência De Direção: Thaís Barros
Elenco: Adassa Martins, Caroline Helena, Flávia Naves E Natássia Vello
Direção Musical: Philippe Baptiste
Cenário: Rafael Medeiros
Figurinos E Caracterização: Adassa Martins E Natássia Vello
Iluminação: Diogo Liberano E Flávia Naves
Preparação Vocal: Verônica Machado
Direção De Produção: Caroline Helena E Diogo Liberano
Registro Audiovisual E Fotográfico: Carolina Calcavecchia E Thaís Grechi
Correalização: Universidade Federal Do Rio De
Janeiro (Ufrj)

MGU - Manual dx Guerrilheirx Urbanx

Primeiro Núcleo de Carnavandalização
e outras Melitintancias

2018

Saiba mais

Primeiras laudas do mini-manual de baderneirxs melitintantes a partir da transubstanciação carnavandalizada do documento mimeografado de Marighella, em busca de nossas próprias armas. Ainda não deu tempo de assimilar tudo. Os relógios foram quebrados. O manual documento foi diluído por novos desejos, novos corpos, novos tempos, novas tentativas, novas ruínas. Peço licença, Carlos. Não se pode sozinho dinamitar a ilha de Manhattan, mas esse ano não morreremos.

Ficha técnica:
Direção: Marina Viana
Codireção: Cleo Magalhães e Henrique Limadre
Direção de movimento: Guilherme Morais
Dramaturgia: Marina Viana e os atores
Trilha: GA Barulhista
Iluminação: Marina Arthuzzi, Jesus Lataliza e Cristiano Diniz
Figurino: Mariana Blanco
Elenco: Carlos Lauro, Efigênia Marya, Jennifer Candeias, Laura Lopes, Lucas Matias, Paula Libéria, Renato Gualberto, Rodrigo Carizu, Sâmylla Aquino
Foto: Paulo Lacerda

Zeca de uma cesta só

Grupo de Teatro Universitário

2015

Saiba mais

Uma simples doação de cestas básicas na periferia de uma grande cidade é o pano de fundo para descobrirmos a história de Zeca, uma personagem que perambula em nossas vidas, mesmo que nem a percebamos. A luta cotidiana para sobreviver da maioria da população brasileira levanta debates importantes para as cenas social e artística contemporâneas e é nessa cena que encontramos Zeca e todos os tipos que a cercam. Crítica social, debate político e frivolidades na periferia do capitalismo.

Ficha técnica:
Elenco: Amanda Feio, Ana Carolina Monteiro, Assucena Pereira, Brenda Lima, Breno Ushôa, Edson D’Arte, Felipe Almeida, Gisele Guedes, Jairo Barbosa, KazuIshizaki, Mayra Saldanha, Miller Santos, Paulo César Junior, Rafaelle Siqueira, Renata Santos, Selma Salvador, Thamires Costa, Victor Peixe
Cenógrafo: Cláudio Bastos
Preparadora de elenco: Gisele Guedes
Diretor dramaturgo: Léo Ferreira e Rodrigo Pimentel
Iluminadora: Natasha Leite
Figurinista, Visagista e Maquiadora: Otávia Castro e Rafaela Silva

Vagabundos

Vagabundos

2014

Saiba mais

Uma coleção de histórias transformada numa coleção de gestos, misturada a uma lista de músicas composta por um coletivo de bombas, exposto numa rua sem começo e sem fim. Uma multidão de amores que vai e volta num espiral, muitos gritos, muitos sustos, muitos saltos, muitos mundos.

Ficha técnica:
Direção: Andréia Pires
Elenco: Acauã Pessoa, Amanda Freires, Felipe Bira, Gabriela Santos, Gabriella Ribeiro, Gabriel Mota, Geane Albuquerque, Getúlio Cavalcante, Israel Diogo, Karen Cristini, Karla Fonseca, Leonardo William, Leuise Furtado, Löe, Marcos Paulo, Michell Barros, Michelle Gandolphi, Nataly Barbosa, Pedro Matheus, Renan Capivara, Rodrigo Ferrera, Sérgio Cavalcanti
Textos: Getúlio Cavalcante e grupo
Orientação de figurinos: Rodrigo Ferrera
Trilha: Andréia Pires
Iluminação: Paulo Victor Aires
Registro audiovisual e técnica: Victor Costa Lopes
Projeto gráfico: Getúlio Cavalcante
Produção: Andréia Pires, Getúlio Cavalcanti, Eli Sousa, Michell Barros, Paulo Victor Aires, Priscila Tavares
Operador de som e projeção: Pedro Henrique
Fotos: Alex Hermes

Assemblage

Coletivo Trocado

2014

Saiba mais

Cena de encontros. Com pessoas, mundos, espaços e tempos diversos. Passado, presente e futuro coexistem para retratar o tempo (e a vida) em sua multiplicidade. Assemblage oferece deslocamentos e conduz uma busca. Que memórias você coleciona? Que perguntas você carrega? Por quais experiências você é marcado? Quais pensamentos estão colados em você?

Ficha técnica:
Direção: Jussara Xavier
Elenco: Alyssa Tessari, Chaiene Rosa, Dimitri Camorlinga, Fábio Yokomizo, Fernando Bresolin, Gabriela Medeiros, Julia Soares Weiss, Luana Leite, Lucas Tesser, Marlon Spilhere, Paulo Soares e Tati Borga
Trilha Sonora: Fernando Bresolin e Dimitri Camorlinga
Produção: Fábio Yokomizo
Iluminação: Ivo Godois
Operação de Iluminação: Marina Argenta
Figurinos: Adriana Barreto e Julia Ancona do Amaral
Arte gráfica: Camila Petersen

Bate-papos da Mostra Memória

No canal do Youtube do FETO

#1

14/11 – sábado – 17h às 18h30

Participantes:
Henrique Vertchenko
O pequeno barão – Oficininha de Teatro – FETO 2006
Henrique Limadre e Naiany Nascimento
Putz – A menina que buscava o Sol – Oboré Cia (Undió) – FETO 2006
Kelly Crifer e Juliano Lopes
Os saltimbancos – Teatro Nós Cegos – FETO 2007

Mediação: Eliezer Sampaio

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Henrique Vertchenko é doutorando em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde pesquisa publicações e bibliotecas de teatro na primeira metade do século XX. É também licenciado e mestre pela mesma instituição. Paralelamente, formou-se como ator no Centro de Formação Artística (CEFAR/ Palácio das Artes – BH). Atuou em “Num ano com treze luas”, foi diretor e dramaturgo de “Pas de Deux para 2 Mulheres”, dramaturgo de “19ª Conferência para o Fim do Mundo” e “Notas sobre o amor: queimaduras e restrições”, além de ter experiência com assistência de direção e de ter sido crítico de projetos como Janela de Dramaturgia, Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine-Horto e Festival Estudantil de Teatro (FETO).

Henrique Limadre é ator, diretor, pesquisador de teatro e gestor cultural. Formado no curso técnico de atuação do CEFAR – Fundação Clóvis Salgado; com licenciatura em artes cênicas pela UFMG e mestrado na mesma área pela UFOP. É cofundador do Grupo Teatro 171 e cogestor do Espaço 171. Servidor público efetivo da Fundação Municipal de Cultura e atualmente, coordenador do Núcleo de Formação da Escola Livre de Artes Arena da Cultura.

Naiany Nascimento iniciou na carreira artística em 2003 por meio de Oficina de Teatro oferecida pelo Grupo Negro e Atitude, no Centro Cultural Lagoa do Nado. Possui formação em Teatro pelo Instituto Undió (2005-2009). Possui formação em Multiplicadores Culturais pelo Instituto Undió (Março-Dezembro/2008). Participou como atriz de peças teatrais e diversas performances artísticas, dentre elas o Espetáculo: Putz, a menina que buscava o Sol ganhador do prêmio de melhor espetáculo pelo FETO 2006. Foi professora de Teatro na Escola Integrada pela Prefeitura de Belo Horizonte e no Centro Cultural Aires de Espanã. Auxiliou na direção do espetáculo A Ultima Rua antes do Beco dirigida por Henrique Limadre. Participou de diversas oficinas e formações artísticas como: Criação Gestual coordenada por Fernando Fabrini, Comunicação Social coordenada por Julia Guimarães, Projeto de Extensão Grupo de Estudante que Multiplicam e Transformam Ideias – GEMTI, dentre outros.

Kelly Crifer é atriz de teatro e cinema. Fez sua primeira aula de teatro na Favela do Pau Comeu – São Lucas onde morava, mesmo local onde deu aulas de teatro por 10 anos. É professora dos Cursos Livres de Teatro do Galpão Cine Horto desde 2010. Curte uma cachaça e ama dançar. É filha do Vale do Jequitinhonha e é no mato que se expande, se espalha e escorre. Fundadora de NósCegos Grupo de Teatro. Foi integrante do Grupo Teatro Invertido desde entre 2006 e 2017 com destaque para os espetáculos Proibido Retornar; Os Ancestrais, texto e direção de Grace Passô. Em 2019 estreou, junto a Cia Zula o espetáculo Banho de Sol, resultado do projeto A Arte como Possibilidade de Liberdade – aulas de teatro realizadas numa penitenciária feminina. Estreou seu primeiro solo Ensaio Para Senhora Azul, em 2015, direção de Robson Vieira. Sua carreira no cinema começou em 2009 com o curta “Contagem” com a Filmes de Plástico, direção de Gabriel Martins e Maurílio Martins, premiada como melhor atriz Sesc Sated 2011. Em 2020 foi indicada ao Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro, por sua atuação no filme No Coração do Mundo, de Gabriel Martins e Maurílio Martins.

Juliano Lopes é ator e Programador de Sistemas. Sou curioso e aprecio novas experiências, mas também amo relembrar os bons momentos que se passaram. Como sou eclético me aventuro em arte, esporte, música e tecnologia. Pela arte sou ator no NosCegos Grupo de Teatro; no esporte pratiquei capoeira, judô, jiu-jitsu, atletismo e atualmente jogo futebol de 5; com a música há tempos tenho um contato especial tocando flauta doce, violão e teclado; e por meio da tecnologia tenho acesso à educação e cultura, além de ser graduado em análise e desenvolvimento de sistemas e trabalhar como programador de sistemas, me divertindo ao escrever e decifrar códigos.

Eliezer Sampaio é ator, ministrante de oficinas, iluminador pesquisador e eleito recentemente conselheiro municipal de cultura e integrante do fórum setorial de teatro de BH. Sócio fundador da Associação No Ato, Cultura, Educação e Meio Ambiente. Integrante da equipe do LIC – Laboratório de iluminação e cenotecnia da UFMG e vice-coordenador do projeto de extensão CenÍssima, formado por alunos do curso de teatro da UFMG.

#2

16/11 – segunda-feira – 17h às 18h30

Participantes:
Léo Moita
O homem do banco branco e a amoreira – Minha Nossa Cia de Teatro – FETO 2010
Diogo Liberano e Natássia Vello
Vazio é o que não falta, Miranda – Teatro Inominável – FETO 2013

Mediação: Fernando Villar

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Léo Moita é ator, diretor, dramaturgo e professor de teatro. Iniciou suas atividades teatrais como aluno do Curso Livre de Teatro do SESI Rio Claro – SP (1999-2006). Licenciado em Teatro pela Faculdade de Artes do Paraná (2010), integrou o Núcleo de Dramaturgia do SESI – PR (2011-2013) e também foi diretor cênico do Grupo de MPB da UFPR (2013-2017). Ator, diretor, dramaturgo e professor de teatro, um dos fundadores do Coro Cênico de Curitiba e também da Minha Nossa Cia de Teatro, que em 2021 completa 12 anos.

Diogo Liberano é ator, curador, diretor, dramaturgo, professor e produtor teatral graduado em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena (PPGAC/UFRJ) e doutorando em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela Pontifícia Universidade Católica (PPGLCC/PUC-Rio). É professor da Faculdade CAL de Artes Cênicas desde 2014, coordenador do Núcleo de Dramaturgia Firjan SESI desde 2017 e diretor artístico e de produção da companhia carioca Teatro Inominável, junto a qual é curador e diretor artístico da Mostra Hífen, mostra de artes da cena, desde 2012. Por seu trabalho, foi indicado aos principais prêmios de teatro do Rio de Janeiro: Prêmio Shell (em 2015, pela dramaturgia de O NARRADOR e, em 2016, pela de OS SONHADORES), Cesgranrio (em 2015, pela dramaturgia de O NARRADOR e pela direção de A SANTA JOANA DOS MATADOUROS, junto com Marina Vianna e, em 2016, pela dramaturgia de OS SONHADORES), APTR (em 2013, pela dramaturgia MARAVILHOSO) e Questão de Crítica (em 2012, pela direção de SINFONIA SONHO e pela realização da primeira edição da Mostra Hífen).

Natássia Vello é graduada em Artes Cênicas: Direção Teatral pela UFRJ, cursou o programa de fundamentação da Escola de Artes Visuais do Parque Lage e o programa de formação do artista de circo do Crescer e Viver. Dentre os espetáculos que dirigiu, o mais recente, “Dentro”, teve estreia e temporada no CCBB/RJ em 2019. No circo, assinou a direção do espetáculo “Um dia de João”, pelo qual recebeu o Prêmio Funarte Artes na Rua. Foi contemplada com o prêmio da Funarte, Bolsas de Residências, para uma capacitação artística no centro de criação Cirkus in Beweging (Bélgica), na Flic (Itália) e na Central del Circ (Espanha). Assina a direção de movimento de inúmeros espetáculos, tais como da peça “Mansa”, direção de Diogo Liberano e do “Pequenino grão de areia”, pelo qual foi indicada ao prêmio CBTIJ 2019 de teatro infantil. Já atuou em inúmeros espetáculos, tendo percorrido 12 estados brasileiros e 11 países. É integrante e cofundadora das companhias Teatro Inominável e Circo no Ato.

Fernando Villar é diretor, encenador, autor,professor e performador, com obras e criações com diferentes grupos e artistas do Brasil e Europa. Atual Chefe do Departamento de Artes Cênicas da UnB.

#3

16/11 – segunda-feira – 20h às 21h30

Participantes:
Lucas Emanuel
Num pacato vilarejo – Cia. De Teatro Pés Descalço – FETO 2011
Varlei Xavier e Anna Ediene
O carteiro de bonecas – Grupo Brinquedo Torto – FETO 2012
Éder Montalvão e Ayane Monteiro
Eu só quero é ser feliz – Grupo Naem  – FETO 2019

Mediação: Pita Belli

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Lucas Emanuel é diretor, dramaturgo, professor e pesquisador de Teatro. Mestrando em Artes da Cena pelo PPGArtes – EBA/UFMG, com pesquisa em ensino remoto de teatro. Licenciado em Teatro pela mesma instituição (2018). Formado em nível técnico pelo Teatro Universitário/UFMG (2015). Desde 2017 é professor da Rede SESI de Educação. Participou do FETO como diretor do espetáculo “Num Pacato Vilarejo” da Cia. de Teatro Pés Descalços (2011), ator do espetáculo “O Prato Azul-pombinho” do Grupo Boca de Cena (2012), e acompanhou, enquanto público, diversos eventos do festival desde 2011.

Varlei Xavier é Diretor do Grupo Brinquedo Torto. Quando menino, não gostava de pipas; seu sonho era empinar cometas. É formado em Letras (Centro Universitário Fundação Santo André), em Teatro (Fundação das Artes de São Caetano do Sul) e Cursa MBA em Inovação para Universidade Federal de São Carlos (Ufscar). Começou sua carreira profissional como Inspetor de Alunos. Já atuou como professor de língua portuguesa, inglês e teatro na educação pública, privada e no terceiro setor. Foi diretor do grupo Brinquedo Torto, entre 2008 e 2018, assim como diversos grupos de Teatro Estudantil. Entre 20013 e 2017, foi um dos idealizadores do Projeto Potência, um projeto de intercâmbio entre grupos do Grande ABC e Minas Gerais. Atualmente trabalha com Educação Socioemocional e desenvolve uma metodologia que utiliza a linguagem do palhaço para o ambiente da sala de aula, num trabalho análogo ao dos palhaços de hospital, chamado “Palhaço Aprende”.

Anna Ediene é atriz e figurinista. Estive 7 anos no Teatro Estudantil pelo Grupo Brinquedo Torto, como atriz e em seguida como figurinista. Hoje com 22 anos, levo as duas experiências como minha profissão, sou atriz formada pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul e figurinista em formação também pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul e pelo SENAI.

O ator e diretor Éder Montalvão, tem formação acadêmica em artes cênicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO). Em seus 20 anos de carreira, acumulou experiência em trabalhos como ator no teatro, televisão e cinema. Fundou em 2009 o NAEM – Núcleo Artístico Éder Montalvão, onde desenvolveu junto à jovens atores, um repertório próprio de espetáculos autorais voltados para o público adolescente. Notabilizou-se também pelo seu trabalho no Instituto Arcádia, onde desenvolveu o primeiro curso de jovem aprendiz em teatro do Brasil, com talentos garimpados da periferia carioca. Desse projeto, se originou o espetáculo “Eu só quero ser feliz” que participou do FETO 2019, e tem como temática os sonhos dos jovens periféricos em atrito com a dura realidade em que vivem.

Ayane Monteiro é atriz. Estuda teatro há 5 anos, e fez parte da primeira turma de jovem aprendiz em teatro, projeto desenvolvido por Éder Montalvão, que garimpou jovens talentos da periferia carioca. Dentre seus principais trabalhos, destacam-se os espetáculos “Ria na periferia” e “Eu só quero ser feliz” , que participou do FETO – edição 2019.

Patrícia de Borba (Pita Belli) é atriz, diretora teatral e professora de teatro. Graduada em Direção Teatral pela Pontifícia Universidade Católica do PR – PUC/PR, Especialista em Ensino da Arte pela Universidade Regional de Blumenau – FURB/SC, Mestre em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, pesquisa com ênfase em Improvisação Teatral. Sócia-fundadora e professora da Escola do Ator Cômico, de 1993 a 1998, em Curitiba/PR, onde também trabalhou como atriz e diretora teatral entre os anos de 1970 e 2000. Professora da Universidade Regional de Blumenau no Curso de Teatro de 1997 a 2016. Diretora do Grupo Teatral Phoenix, de 1998 a 2016, e coordenadora do Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau, de 2001 a 2016, ambos Projetos de Extensão mantidos pela FURB. Coordenadora do Colegiado do Curso de Teatro da FURB de 2014 a 2016. Ainda em Blumenau, foi uma das fundadoras do Grupo Fãs de Teatro, junto ao qual trabalhou como diretora. Foi professora de Improvisação Teatral na Graduação em Teatro e na Especialização em Direção Teatral da Escola Superior de Artes Célia Helena em São Paulo. Foi também Conselheira da Enciclopédia Itaú de Teatro, para os Estados de Santa Catarina e Paraná. Atou como colaboradora junto ao TOSCO – Grupo de Estudos de Improvisação e Espetacularidade, Projeto de Extensão da Faculdade de Artes do Paraná – FAP, de 2018 a 2019. Atualmente é integrante do Conselho Editorial da revista Olhares, editada pela Escola Superior de Artes Célia Helena/SP e parecerista da revista DAPesquisa da UDESC. 

#4

17/11 – terça-feira – 17h às 18h30

Participantes:
Marcelo Veronez
À espera – Roda Viva – FETO 2006
João Valadares
Qorpo santo – Cia. Preqária – FETO 2006
Deinha Baruqui
Garatuja – Barba azul e outras histórias – Garabateios Investigações Teatrais – FETO 2008
Clarice Rena 
Diário de um pássaro  – Móbile Companhia Circocênica – FETO 2010

Mediação: Bárbara Bof

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Marcelo Veronez nasceu em Belo Horizonte e viveu toda a infância na área rural de Itamarandiba, uma pequena cidade mineira no Vale do Jequitinhonha, com pouco mais de 30 mil habitantes. Logo se mudou para Contagem, onde viveu por toda a década de 90 até no início dos anos 2000, retornando em 2007 para Belo Horizonte. É cantor, ator, diretor de teatro e de shows, formado pelo Teatro Universitário da UFMG (2003), com passagens pela Anthonio Escola de Canto e Primeiro Ato Centro de Dança. No período de 2005 a 2007, foi coordenador do núcleo de artes cênicas da coordenadoria de cultura de Contagem, onde criou o grupo Roda Viva. Atuou nos espetáculos “Os Saltimbancos” de Chico Buarque, pelo qual recebeu o Prêmio Sinparc como melhor ator coadjuvante e “Auto da Compadecida” de Ariano Suassuna, sob direção de Gabriel Vilela. Em 2017, lançou o seu disco de estreia: Narciso deu um grito. Entre suas parcerias de trabalho estão Babaya, Suely Machado, Déa Trancoso e Cida Falabella. Já se apresentou ao lado de nomes como Zezé Motta, Maria Alcina, Odair José e Elza Soares.

João Valadares é mestre em teatro pela UFMG, formado no Curso Técnico de Ator do Palácio das Artes, e um dos fundadores da Preqaria Cia de Teatro, onde há 14 anos dirige, escreve e atua em diversos espetáculos. Desde 2014 é professor de interpretação da Escola Livre de Artes – Arena da Cultura (Prefeitura de BH) e desde Março de 2009 é coordenador e professor da Escola Livre de Teatro de Sete Lagoas. Desde 2014 é coordenador da “Temporada de Teatro de Sete Lagoas” que até aqui teve mais de 40 mil espectadores, e do “Curta Teatro – Festival de Cenas Curtas de Sete Lagoas”. Como jornalista apresentou em 2013 e 2014 o programa “Ligado na Ciência” na TV Rede Minas.

Deinha Baruqui é atriz, marionetista e Arte-Educadora, formada em Artes Cênicas pela UFMG. Há 15 anos no mercado profissional, a mineira de Belo Horizonte, já participou de mais de 20 montagens de espetáculos teatrais (infantis, adultos, teatro de bonecos e teatro empresarial), além de atuar em campanhas publicitárias, curtas e vídeos na web. A atriz já foi indicada 5 vezes em prêmios Mineiros de teatro, e foi contemplada em três deles: em 2011 como Melhor Atriz Coadjuvante no 8º Prêmio Usiminas /Sinparc (espetáculo “Garatuja: Barba Azul e Outras Histórias”); 2010 Melhor Atriz Teatro infantil no Prêmio SESC/SATED 15 anos (espetáculo “Crianças Invisíveis”) e 2008 como Melhor Atriz no Festival Estudantil de Teatro (FETO) – Categoria Escola de Teatro (espetáculo “Garatuja”). Atualmente se aventura na edição e câmera do “Canal Humor de Quinta” e “Ator em foco”, além de integrar o elenco do Grupo Giramundo Teatro de Bonecos e Cia O Trem de teatro.

Clarice Rena é atriz, produtora, figurinista e cenógrafa. Formada em Licenciatura pela UFMG com o espetáculo Diário de um Pássaro, Clarice hoje é professora do curso técnico de Figurino Cênico do CICALT e atua como figurinista e cenógrafa em parceria com diversos grupos em Belo Horizonte através do CRAVA Ateliê. Também faz parte da Trupe Estrela e do Espaço Comum Luiz Estrela.

Bárbara Bof é Gestora Cultural Idealizadora do FETO. Tem experiência na coordenação e execução de projetos ligados à formação e cultura. Atualmente está Diretora de Promoção dos Direitos Culturais da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, desde setembro de 2017. Fundadora da Associação No Ato Cultura Educação e Meio Ambiente. Idealizadora e coordenadora geral do FETO – Festival Estudantil de Teatro de 1999 a 2017. Atriz formada no Curso Técnico Profissionalizante de Teatro da Fundação Clóvis Salgado, concluído em 2001 e bacharel em Gestão em Comunicação Integrada / PUC – Pontifícia Universidade Católica.

#5

17/11 – terça-feira – 20h às 21h30

Participantes:
Grazielle Alvares
Brasil que história é essa? – Teatrama – FETO 1999
César Rocha e Talita Rezende
Nunca acredite em gnomos – Grupo Art Ofício – FETO 2001
Josiane Souza
O pote vazio – Las Meninas – FETO 2009

Mediação: Eduardo Kawamura

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Grazielle Alvares Graduada em pedagogia pela UEMG, estudou no curso livre de Teatro da Puc e Colégio Padre Machado, fez Teatro no CEFAR. Já atuou como professora de teatro no projeto Arte da Saúde (Caritas Brasileira), em oficinas de teatro no Colégio Hilda Rabello Matta e Obra Social Madre Maria de Jesus. Fez parte dos grupos Teatrama (atriz), Emcenarte (atriz, direção e produção coletiva), Cia Condelon (atriz), Cia Coliseu (Atriz, direção e produção coletiva), Cia Atu´s (Atriz). Fez iniciação em dança e circo pela Arena da Cultura. Premiada como melhor atriz nos festivais Festin e Feto nos anos de 2000 e 2002. Atualmente trabalha na parte técnica com montagens de palco, som e luz. No espetáculo “Brasil que história é essa?” no grupo Teatrama participou como atriz.

César Rocha, 33 anos, casado e pai do João Vicente. É formado em Letras, pela PUC Minas, e é professor há mais de 10 anos. Atualmente, leciona a disciplina de Língua Espanhola, nos colégios Loyola e Santo Agostinho. É autor de livros didáticos do Bernoulli e de 2 peças teatrais, que receberam o prêmio de Melhor Texto original. Participou de 4 edições do FETO: em 2000, com o grupo Teatrama, e em 2001, 2002 e 2003, com o grupo Arteofício. Neste, atuou, escreveu e ganhou 3 troféus: 2 como melhor ator coadjuvante e 1 como melhor ator.

Talita Rezende tem 33 anos, é casada e mãe de 3 filhos. É funcionária pública, na cidade de Lagoa Santa, no setor de Educação. Por 4 anos, participou do Feto: no ano 2000, quando estava no Teatrama, e de 2001 a 2003, no grupo Arteofício (em que atuou e dirigiu). Além de algumas indicações, ganhou o prêmio de melhor atriz, na categoria infantil, no ano de 2001.

Josiane Souza é Professora de Português. Sou formada em Letras-UFMG e atualmente estou cursando Artes Plásticas na Escola Guignard/UEMG. Atuei como auxiliar de biblioteca, professora e acompanhante pedagógica do Programa Escola Integrada, todos os cargos na Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte. Nesse período, minha atuação sempre se articulou com o teatro e participei de duas edições do FETO, em 2006 e 2009. Atualmente sou bolsista de um projeto de extensão da escola Guignard, trabalho com revisão de textos em uma plataforma online de ensino e aprendizagem e atuo como professora voluntária em uma oficina de escrita voltada para estudantes de escola pública em preparação para o ENEM.

Eduardo Kawamura possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas. É mestre e doutor em Psicologia pela PUC-Campinas. Doutorando em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Atualmente, trabalha com as interfaces entre as áreas da Educação e Psicologia, com especial destaque aos seguintes temas: Formação Docente, Violência, Masculinidade, Desenvolvimento Humano e Educação pela Arte.

#6

19/11 – quinta-feira – 17h às 18h30

Participantes:
Léo Ferreira
Zeca de uma cesta só – Grupo de Teatro Universitário – FETO 2015
Marina Viana
MGU – MANUAL DX GUERRILHEIRX URBANX – Primeiro Núcleo de Carnavandalização e outras Melitintancias – FETO 2018

Mediação: Christina Streva

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Léo Ferreira é Ator, com formação técnica em artes dramáticas, professor, diretor, dramaturgo e produtor teatral. Cursou Especialização em Educação Profissional de Jovens e Adultos em Artes, na modalidade EJA-ARTE-AMAZÔNIA. Cursou Licenciatura Plena em Teatro/UFPA. Cursou a Especialização em Direção Teatral na Faculdade CAL de Artes Cênicas. Foi diretor do Grupo de Teatro Universitário da Universidade Federal do Pará -UFPA. Foi coordenador administrativo do Centro Acadêmico de Licenciatura em Teatro (CALT) UFPA. Foi premiado, em 2014, com o Prêmio PROEX de Arte e Cultura /categoria teatro. Em 2015 participou, como diretor e produtor, do Festival Estudantil de Teatro (FETO), onde o grupo recebeu a menção honrosa pela capacidade de mobilização. Em 2016, foi premiado no “Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau” -FITUB, com o prêmio “ESPECIAL” e DESTAQUE DE DIREÇÃO, ambos por “ZECA DE UMA CESTA SÓ”. É bacharel, licenciado e mestre em geografia. Possui Aperfeiçoamento em Vivência Estudantil Camponesa. Foi consultor do “Projeto Jovens Protagonistas” (Projeto desenvolvido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade-ICMBio, órgão do Ministério do Meio Ambiente, em parceria com o Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento-PNUD). Atualmente é professor de geografia na Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. Além disso, mantém, de forma voluntária e, hoje, independente, o Grupo de Teatro “JOVENS URBANOS”, grupo formado por Jovens da região de Jacarepaguá, zona oeste do Rio.

Marina Viana é atriz, dramaturga e diretora teatral graduada no curso de Artes Cênicas da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) com habilitações em Licenciatura e Bacharelado em Interpretação Teatral desde 2005. É integrante dos Grupos: Mayombe Grupo de Teatro, Teatro 171, Cia Primeira Campainha, e é colaboradora de varios outros coletivos da cidade de Belo Horizonte (MG). Tem uma banda, já publicou Zines, realiza premios e faz cabarés. Posou como modelo vivo na Escola de Belas Artes pra ajudar no orçamento da casa. Atriz e modelo. Escreve manifestos e plagicombina canções alheias.

Christina Streva é PhD. em teatro, Professora Associada de Atuação e Performance na Escola de Teatro da UNIRIO e no Programa de Pós-Graduação em Teatro – PPGAC. Atua como diretora e pesquisadora especializada em performance popular, teatro de rua, cabaré político e metodologias colaborativas. Fundou e coordena, desde 2014, o projeto Cabaré Incoerente, dedicado à pratica e à pesquisa da linguagem.

#7

20/11 – sexta-feira – 20h às 21h30

Participantes:
Andréia Pires
Vagabundos – Vagabundos – FETO 2014
Jussara Xavier e Dimi Camorlinga
Assemblage – Coletivo Trocado – FETO 2014

Mediação: Rodrigo Antero

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Andréia Pires é mestre em Artes pela Universidade Federal do Ceará,  graduada em Artes Cênicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (2009), pesquisou  os procedimentos de Composição em Tempo Real com o Coreógrafo João Fiadeiro (2011) formada pelo Curso Técnico em Dança, do Centro Cultural Dragão do Mar/ SESC-Senac (2010), e foi aluna do curso “Dança e Pensamento” da Vila das Artes e Universidade Federal do Ceará (2008). Atuou como professora do Curso Técnico em Dança em 2014, 2015, 2018, 2019 e  também como professora substituta dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Dança da Universidade Federal do Ceará de 2013 à 2015 / 2019 e 2020. Trabalhou nos espetáculos: “A semente” (2007) /atriz e coreógrafa; “Parcour” (2008) /intérprete; “Comboio” (2009) /coreógrafa; “As Lavadeiras” (2009) e “Mulieres” (2010) – Teatro MIMO (2009) /coreógrafa; “Gólgota” (2009 – 2012) /coreógrafa, “CAVALOS”, Pizamiglio. Pires. Mouramateus (2010-2012) “Breno Baptista” (2011) /intérprete criadora; “Automatismos” (2013) /performer;  “Esconderijo dos Gigantes” (2016) / atriz e dramaturgia; “PRA FRENTE O PIOR” (2017)/ Performer ; “FORTALEZA 2040” Performer e dramaturgia.  Foi preparadora corporal de: “IVANÓV” (2011) Teatro Máquina; “Metrópole” (2012) Inquieta Cia.de Teatros; “Patos” (2012) Curta-metragem; “Alguém no futuro” (2012) Curta-metragem; “Anamuh” (2012) Espetáculo de conclusão CPBT/TJA; “Caio e Léo” (2014) Outro de Teatro; Série pra TV. “Meninas do Benfica” (2019 / Preparação de elenco. Dirigiu os espetáculos: “Alegria, Alegria” (2013.2014) – Espetáculo de conclusão do segundo ano da Escola Pública de Dança da Vila das Artes; “Encanta o meu jardim” (2014) com Rosa Primo; “VAGABUNDOS” (2014); “8 MILHÕES DE HABITANTES” (2014); ”Sandra Bar” com Daniel Rufino (2017); “Touro azul” (2017); “BARRACAL (2018); “Abaporu”UFC (2019), Pandemônios (2019).  “Atuou nos curtas-metragem: “Fui à Guerra e não te chamei” (2010) de Leonardo Mouramateus, “Dias em Cuba” (2011) e O Homem do Pântano (2012) – ambos os filmes também com a direção de Leonardo Mouramateus; “Monja” (2012) de Breno Baptista; “Medo do Escuro” (2013) de Ivo Lopes /Alumbramento; “Animal Sonhado”(2015) da Tardo Filmes, “Rua dos Vagalumes” (2014) de Camila Vieira e “ De terça pra quarta”(2014) de Victor Costa Lopes, “o Homem que virou armário” de Marcelo Ikeda, e ” O mundo sem nós” de Robson Levi. E dirigiu os filmes “A Fera do Clima” e “Vando, Vulgo Vedita”, 2017. Foi indicada ao prêmio APCA de melhor Coreógrafa 2019, e escolhida como Artista em Foco da MIT BR 2020. 

Jussara Xavier é professora, Artista, Pesquisadora. É especialista em Dança Cênica (UDESC), Mestre em Artes – Comunicação e Semiótica (PUC/SP), Doutora em Teatro (UDESC), Pós Doutora em Filosofia (UFSC). Professora da Graduação em Dança (FURB). Responde pela coordenação e curadoria do Festival Internacional Múltipla Dança (2006-atual); coordenação e curadoria do projeto Tubo de Ensaio (2001-atual). Coordenadora dos Seminários de Dança do Festival de Dança de Joinville (2016-2017). De 2011 a 2016 foi professora da Graduação em Teatro (UDESC).  Gestora de projetos, Coordenadora técnica, Professora e Produtora na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (Joinville, 2001 a 2008). Publicou os livros Grupo Cena 11. Dançar é conhecer (2015); Acontecimentos de dança: corporeidades e teatralidades contemporâneas (2013). Coorganizadora dos livros 1, 2, 3 e já! A criança pinta, borda e dança (2018); Dança não é (só) coreografia (2017); Tubo de Ensaio. Composição [Intervenções + Interseções] (2016); Histórias da Dança (2011); Pesquisas em Dança (2008); Tubo de Ensaio. Experiências em Dança e Arte Contemporânea (2006).

Dimi Camorlinga é formado no Curso de Licenciatura e Bacharelado em Teatro pela Universidade Estadual de Santa Catarina, esteve desde cedo ligado às artes em diversas áreas (música, contação de histórias, fotografia, teatro, audiovisual, trilha sonora, etc.). Foi convidado pela Produtora Harmônica Arte e Entretenimento a participar na produção de eventos como a Maratona Cultural (2017, 2018 e 2019), Festival Isnard Azevedo de Teatro (2018 e 2019) e na pré-produção e execução da primeira edição do FIK (Festival Internacional de Arte e Cultura José Luiz Kinceler em 2018). A partir da sua pesquisa com som da cena realizou a trilha sonora de espetáculos de dança e teatro, entre eles Peso Bruto, solo de dança de Jussara Belchior (realizado com o apoio do Programa Rumos Itaú Cultural 2015/2016) e Ignorâça (Montagem Teatral do Curso de Teatro da UDESC realizada em 2015 com direção de Jussara Xavier). Foi responsável também, em parceria com Jefferson Nefferkturu, pela trilha sonora do Documentário Larfiagem, dirigido por Gabi Bresola (com apoio do Prêmio Catarinense de Cinema – 2013), e que recebeu durante o FAM os prêmios de Melhor Documentário da Mostra de Curtas (Catarinense e Mercosul), Melhor Filme do Júri Popular e Melhor Filme do Júri Oficial da Mostra Catarinense. Por quase dois anos trabalhou como produtor técnico na Dia Estúdio, network de canais do Youtube, e atualmente se dedica principalmente aos eventos da Casarinha, espaço cultural onde vive e que gere em parceria com Luiza Pimenta, promovendo apresentações, shows, oficinas e projetos audiovisuais.

Rodrigo Antero é artista independente, professor e pesquisador em artes da cena de Belo Horizonte/MG. Graduado em Licenciatura em Dança e Teatro e Bacharelado em Interpretação Teatral pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atua como professor de Dança na Escola Livre de Artes Arena da Cultura e no Centro de Formação Artística e Tecnológica da Fundação Clóvis Salgado (CEFART) – Palácio das Artes, mestrando no PPG-Artes da Escola de Belas Artes da UFMG e co-fundador do tinto coletivo. Atualmente desenvolve também o processo criativo intitulado “Transe” com a Maldita Cia de Investigação Teatral Projeto Cena-Espetáculo do Galpão Cine Horto. 

#8

21/11 – sábado – 17h às 18h30

Participantes:
Clóvis Domingos e Mariana Botelho
Atrás do arco íris – Cia Teatral Crepúsculo – FETO 2011
Wanderson Lana e Alice Lucas
Alice – Grupo Faces Jovens – FETO 2019
Palmira Palhano e Raana Rocha
Negra sou – Cabe na Sacola – FETO 2017

Mediação: Ana Fabrício

Espetáculos disponíveis no canal do Youtube do FETO

Saiba mais

Clóvis Domingos é artista, crítico teatral e pesquisador acadêmico. Doutor em Artes da Cena pela Escola de Belas Artes da UFMG. Pós-Doutorando pelo Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da UFOP com pesquisa sobre crítica e cena contemporânea. Como professor e artista trabalha junto a grupos e instituições que entrelaçam Arte, Saúde, Educação e Políticas da Diferença. É colaborador e provocador em diversos processos de criação artística e colaborativa.  

Eu me chamo Mariana Garcia Botelho, natural de Belo Horizonte. Tenho 34 anos. Nasci com Síndrome de Down. Sempre frequentei escolas regulares que me ajudaram a evoluir e vencer minhas dificuldades. Sou atriz e bailarina. Em 2005 iniciei minhas atividades no Crepúsculo ingressando na CIA TEATRAL CREPÚSCULO. Em 2008 passei a integrar também a CIA DE DANÇA CREPÚSCULO. Fiz parte da montagem e apresentação como intérprete-criador de 2 espetáculos que circularam por vários estados: Conatus  – A Essência do Ser; Ecos, em Mim, em Nós, em Todos. Em 2011 a CIA TEATRAL CREPÚSCULO estreou o espetáculo ATRÁS DO ARCO ÍRIS. Na época, Clóvis Domingos era nosso professor e diretor da Cia e inscreveu o nosso trabalho no FETO. Tivemos a felicidade de sermos selecionados para participar deste evento tão importante. Em 2014, estreamos uma nova peça: Os 4 Distintos, que trata da inclusão. O Crepúsculo tem a proposta de trabalhar a inclusão através da arte e me proporcionou a possibilidade de me tornar atriz e bailarina, me auxiliando no processo continuo de formação artística. Sou eternamente grata por todas as oportunidades que tive para crescer e alcançar o meu sonho de ser artista. 

Wanderson Lana é Dramaturgo, Diretor, Ator e Pesquisar mato-grossense. Membro fundador do Teatro Faces de Primavera do Leste há 15 anos. Diretor Artístico dos Grupos Faces Jovem e Primitivos. Vencedor do Prêmio Furnarte de Dramaturgia 2018, Prêmio Estevão de Mendonça de Literatura 2020, Escreveu mais 15 obras para infância, 05 obras para o público adolescente e 05 obras para o público adulto. Graduado em História, especialista em História da América Latina, Mestre em Estudos de Cultura Contemporânea e Doutorando em Estudos de Cultura Contemporânea. Pesquisa o Teatro para infância e juventude no interior de Mato Grosso, as relações de vida e morte e os desencadeamentos da colonização. 

Alice Lucas é atriz, Performer, Artista Visual e Drag Queen. Compõe o elenco do Faces Jovem e corpo docente da Escola Municipal de Teatro e do Ponto Faces de Cultura. Circulou com Alice pelo SESC Amazônia das Artes e pelo Proac/MT. Vencedora da Etapa Estadual do Festival Estudantil de Teatro FETRAN pela categoria Infanto-Juvenil em 2019. 

Palmira Palhano é Diretora do espetáculo “Negra Sou”/ Coordenadora do grupo de teatro “Cabe na Sacola”. Doutorado em Ciências Sociais pela UFCG/ Mestrado em Educação pela UFPB/ Especialização em Educação Pré-Escolar UFPB/ Graduação em Licenciatura em Educação Artística/Teatro UFPB, as pesquisas realizadas e os documentos elaborados sempre possuem como objeto de estudo O Ensino da Arte e o Ensino de Teatro. Professora do IFPB desde 1995, coordenadora do grupo de teatro do IFPB “Cabe na Sacola”/Projeto de extensão, Atriz em vários espetáculos dentre eles: Anáguas, Rogério, Anjos de Augusto, A Carne é Fraca, O Palhaço e o Rei, Homens de Lua, O Pequenino Grão de Areia, etc. 

Raana Rocha é Atriz e Produtora do Grupo Cabe na Sacola. Artista, professora e produtora cultural, nascida na paraíba, com início da carreira no teatro com a professora Palmira Palhano no Instituto Federal da Paraíba e parte da família Cabe na Sacola. O espetáculo “Negra Sou” trouxe consigo a oportunidade de conhecer lugares, pessoas e histórias, sendo fundamental para o crescimento pessoal e profissional de todas as pessoas que passaram por nossa história e que se deixaram atravessar pela nossa arte. 

Ana Fabrício é mestre em Artes Cênicas, pela Universidade Federal da Bahia, e professora do curso de Bacharelado em Artes Cênicas, da Universidade Estadual do Paraná, Campus de Curitiba II – FAP há 21 anos. Ali também atuou como coordenadora do curso em três gestões, além de outras funções administrativas. Durante este período desenvolveu e coordenou vários projetos de pesquisa e extensão sobre Improvisação e Espetacularidade.  Atriz de formação, atuou também com Iluminação Cênica e Direção, além de ter participação em curadorias, coordenações pedagógicas e equipes artísticas em diversos Festivais de Teatro.

CaFETO

No canal do Youtube do FETO
*Roda de conversa
Foto: Glenio Campregher 

A formação teatral em tempos de pandemia

Experiências, desafios e novas perspectivas em salas de aula online

26/11 – quinta – 18h30 às 20h

Participantes: Camila Morena, Charles Valadares, Heloísa Marina, Michelle Sá

Mediação: Raquel Castro